Modelos
Path 2@2x

27.10.2022

O YETI foi pioneiro.

O primeiro ŠKODA SUV moderno chamava-se YETI. O veículo de produção foi criado através de dois concept cars e constituía por si só a base de algumas versões menos conhecidas.

Em 2005, a ŠKODA apresentou o YETI, o seu pequeno SUV, no Salão de Genebra. Aquando desta estreia, o automóvel ainda era só um exercício de design, seguindo o concept anterior do ROOMSTER e desenvolvendo certas partes da linguagem de design pretendida pela ŠKODA. A resposta dos profissionais e do público em geral ao novo concept foi muito positiva, pelo que o fabricante de automóveis checo começou a preparar uma versão de produção.

Concepts inovadores

Chegou aos clientes quatro anos mais tarde como o primeiro SUV moderno da ŠKODA (o primeiro antecessor dos atuais SUV de Mladá Boleslav foi o TREKKA, produzido na Nova Zelândia nas décadas de 60 e 70). No entanto, o concept do YETI não estava limitado ao modelo azul apresentado em Genebra em 2005. No mesmo ano, foi revelada uma segunda versão em laranja no Salão de Frankfurt, que apresentava uma secção de tejadilho removível sobre os bancos dianteiros e um tejadilho de lona dobrável sobre os bancos traseiros.

Além da visão de como poderia ser um SUV ŠKODA, ambos os concepts YETI mostraram uma série de soluções inteligentes, práticas e interessantes, que os fabricantes haviam pensado. Por exemplo, os veículos tinham apenas um limpa para-brisas escondido no pilar dianteiro, a quinta porta tinha duas secções e a secção inferior, que baixava, podendo ser usada como banco. Ou então, permitiria que a bagageira acomodasse um porta-bicicletas para duas bicicletas. Também havia, por exemplo, um suporte de água refrigerada na consola central, um sistema de navegação amovível e, no concept laranja, os bancos traseiros podiam ser rebatíveis com o chão de forma a criar um design plano. Desta forma, prefigurou-se a praticidade da versão de produção.

Até Clarkson ficou entusiasmado

Embora os concepts  YETI eram mais "crossovers" de exterior e urbanos destinados a um público mais jovem e mais ativo, o YETI de produção conquistou muitos clientes novos. Conservou o design distinto dos concepts, mas tornou-se maior e mais poderoso e recebeu tecnologia mais avançada: entre outras coisas, a plataforma do OCTAVIA, que possibilitou incorporar tração integral. O YETI tornou-se, assim, um verdadeiro SUV com um interior extremamente prático e variável, cujas características foram elogiadas pelo famoso Jeremy Clarkson depois de o testar. "O YETI é o melhor carro do mundo", disse o famoso apresentador na época, ao comparar o veículo com um famoso carro desportivo numa estrada cheia de buracos, ou deixar uma equipa de bombeiros conduzi-lo e atravessar uma casa em chamas. No final do teste, um helicóptero pousou no tejadilho do carro. Mais tarde, um dos sucessores do YETI, o SUV KODIAQ, conseguiu algo semelhante.

O design do YETI de produção honrou sem dúvida o espírito do concept original. Além do facto do público ter gostado do YETI, havia várias razões práticas para isto. Por exemplo, a traseira essencialmente perpendicular - não lhe foram dados os faróis verticais nos pilares da carroçaria da versão concept - aumentou o valor utilitário do veículo, reduzindo a intensidade do aquecimento interno pelo sol. Este foi um belo detalhe numa carroçaria que tinha extensas superfícies de vidro.

Na época em que o YETI chegou ao mercado, em 2009, os SUVs não eram tão populares como são hoje, mas o YETI foi um sucesso imediato. E à medida que a popularidade dos SUVs crescia, a popularidade do modelo crescia também. Como resultado, os designers usaram novas ideias de para expandir a gama de modelos YETI.

Pick-up YETI

Só recentemente é que a ŠKODA revelou que preparou um protótipo de pick-up baseado no YETI entre 2012 e 2013. O design do veículo utilitário é estruturalmente incomum. "Grande parte da frente foi retirada do YETI de produção, enquanto a plataforma traseira, incluindo o eixo e a suspensão vieram do Volkswagen Caddy Max. Os painéis traseiros da carroçaria foram, naturalmente, adaptados a este modelo pelos designers", diz Martin Kadlec, do Centro de Desenvolvimento de Carroçarias de Teste da ŠKODA, que esteve envolvido no desenvolvimento da pick-up.

O resultado foi uma pick-up muito prática, equipada com um motor 2.0 TDI de 125 kW com tração 4 x 4. Enquanto o YETI clássico media 4.223 mm de comprimento, com a maior parte do aumento atribuível à distância entre eixos alargada (de 2.578 mm para 3.006 mm) e alguma à saliência traseira (985 vs. 768 mm). O espaço de carga media 1.936 x 1.170 mm e a cama era extraordinariamente profunda para uma pick-up compacta: 625 milímetros. Isto porque a base do SUV era maior que a das pick-ups compactas convencionais. Apesar do resultado ter sido tão prático, nunca chegou à produção em massa.

Yeti para a China

No entanto, uma versão estendida do YETI foi produzida. Esta era essencialmente uma versão moderna do modelo de 2013, e era destinada exclusivamente para o mercado chinês. Os clientes na China estavam interessados em espaço longitudinal nos bancos traseiros (muitas vezes têm um motorista que os conduz), por isso a distância entre eixos foi estendida para 2.638 milímetros (mais 60 mm do que a versão normal).

O modelo foi referenciado em 2014 com o conceito YETI Xtreme apresentado no famoso encontro GTI no Lago Wörthersee.

O ŠKODA YETI permaneceu em produção até 2017 e tornou-se um modelo de enorme sucesso, vendendo mais de 630.000 unidades no total. Hoje, dois modelos seguem as suas pisadas na linha da marca. O YETI é próximo em tamanho ao SUV urbano KAMIQ, enquanto a posição do YETI no portfólio foi tomada pelo ŠKODA KAROQ.