Modelos
Path 2@2x

EM DIREÇÃO A UM FUTURO ELÉTRICO ŠKODA

25.02.2019

Em Direção a um Futuro Elétrico ŠKODA

 

A mobilidade elétrica já anda sobre rodas e a ŠKODA acompanha o seu caminho: até 2025 entrarão nas estradas 10 modelos eletrificados da Marca. Para esta adesão a ŠKODA focou-se em pontos chave para dar uma experiência máxima aos seus condutores.

 

• Prazer da condução, com uma condução ágil e suave;

• Design atraente e dinâmico;

• Conexão total à internet e sistemas avançados de assistência ao condutor

 

É claro que o espaço e as soluções Simply Clever continuarão a ser o elemento diferenciador que a ŠKODA sempre oferece aos seus condutores. Mas, que automóveis elétricos a ŠKODA vai pôr nas estradas?

 

• CITIGO puramente elétrico, com autonomia de 300km

• SUPERB híbrido plug-in, que oferece um motor de combustão interna em conjunto com um motor elétrico

• O ano 2020 será ainda mais revolucionário: o concept VISION E vai ser revelado. Tal como este concept, o verdadeiro modelo de produção permitirá uma autonomia de até 500km.

6 dos modelos serão totalmente elétricos e os restantes 4 serão híbridos e híbridos plug-in. Os modelos com motores de combustão interna também continuarão no mercado e serão cada vez mais eficientes. Mas as novidades não acabam por aqui… a ŠKODA também está a trabalhar para que possa usufruir do tempo que passa no seu automóvel ao desenvolver a  condução autónoma .

 

A ŠKODA está claramente na estrada da mobilidade elétrica assim como Portugal, que é considerado pioneiro nas energias renováveis. Para incentivar as pessoas a dizer "Sim" à mobilidade elétrica, Portugal (e segundo o Plano da Mobilidade Elétrica do Ministério do Ambiente, Ordenamento do Território e Energia) tem trabalhado no reforço de vários pontos chave:

 

• Eliminação das barreiras ao carregamento das baterias tornando os pontos de carregamento num regime de livre concorrência. Para o carregamento privilegia-se também o carregamento em habitações ou empresas;

• Incentivos fiscais à aquisição de automóveis elétricos (devolução de ISV e isenção de IUC);

• Evolução tecnológica das baterias para que o tempo de carregamento seja cada vez menor;

• Novos serviços como, por exemplo, o carregamento inteligente que inclui microgeração ou autoconsumo.